ISBN-10: 8542807073 
Título: Por Favor, Ignore Vera Dietz 
Autora: A.S King 
Ano: 2015
Páginas: 288 
Idioma: Português
Editora: Novo Século
Gênero: Jovem Adulto Maduro, drama
Nota: 5/5

Sinopse: Vera Dietz e Charlie Kahn foram melhores amigos desde crianças até completarem 17 anos. Mas agora Charlie está morto. E morreu de uma maneira horrível e misteriosa. E morreu brigado com Vera. A vida não tem sido fácil desde então. Vera não sabe direito como agir, como pensar, o que sentir. Sua mãe foi embora quando ela tinha apenas 12 anos, e seu pai é adepto da filosofia de ignorar os problemas até que eles desapareçam por mágica. Mas Vera precisa fazer suas entregas no Templo da Pizza. Precisa abrir o coração para o amor. Precisa concluir o Ensino Médio. Precisa colecionar palavras para a aula de Vocabulário. Precisa entender o que realmente aconteceu com Charlie. Precisa seguir em frente. 


''Por Favor, Ignore Vera Dietz'' foi quem me propiciou um primeiro contato com a A.S King e, uma coisa eu devo dizer: não poderia ter escolhido melhor. O que, sem dúvidas mais me encanta, é a forma com que a autora consegue desenvolver com maestria assuntos um tanto conflituosos em nossa sociedade, como: alcoolismo, bullying, pedofilia e violência doméstica. Temas que precisam ser abordados, que devem estar cada vez mais presentes em livros, desde que é uma forma de nós refletirmos sobre estes problemas que assolam o nosso cotidiano. 

Neste conhecemos Vera Dietz, uma jovem de dezoito anos que está terminando sua jornada pelo Ensino Médio. Tudo o que Vera sempre quis foi passar despercebida pelas pessoas à sua volta. Porém, isso não é uma tarefa fácil desde que o seu passado lhe condena, ou melhor, o de sua mãe, que trabalhava como uma stripper em um bar de sua cidade como forma de levar dinheiro para dentro de casa. 

Como se não bastasse, ao contrário da grande maioria de seus colegas de classe, Vera se vê obrigada a começar a trabalhar desde de cedo a fim de futuramente pagar por seus estudos. Segundo o seu pai, essa é uma maneira de a educar. Assim, além de toda a tortura que é estar no último ano do Ensino Médio, Vera ainda trabalha numa pizzaria como entregadora no período da noite – inclusive inicialmente contrariada, apenas como uma forma de finalmente conseguir a permissão de utilizar o carro de sua mãe que há tempos está parado na garagem. 

Vera não tem uma relação fácil com o seu pai. Desde de que sua mãe decidiu fugir com um podólogo e abandonar a própria filha e o marido, os mesmos encontram-se desestabilizados e tentando arrumar o caos emocional que sua partida resultou em ambos. Além disso, Vera recentemente perdeu o seu melhor amigo, Charlie. Ou melhor, já o havia perdido antes de sua morte, desde que ele se virou contra ela após mudar completamente seu comportamento – tornando-se agressivo e ''rebelde'' – após fazer novas amizades. 

A partir disso, Vera encontra na bebida o seu refúgio, ignorando completamente os conselhos de seu pai – um ex-alcoólatra – a respeito disso. Assim, se metendo em diversas confusões. É nítido o quanto a jovem precisa de ajuda de um profissional para lidar com problemas em casa e também os trazidos pela morte do melhor amigo, porém sem receber o apoio necessário, ela se vê obrigada a lidar sozinha com a enxurrada de sentimentos que carrega dentro de si. 

Um dos diferenciais do livro é o fato do mesmo ser narrado no presente, porém também trazer fatos do passado de Vera, lembranças de sua vivência ao lado de Charlie e também, que formam um quebra-cabeça em volta de sua morte um tanto misteriosa até então. Além disso, a autora nos traz capítulos em que tanto o Charlie – do além - quanto o pai de Vera contam suas histórias a partir dos seus pontos de vistas. E para mim, isso é simplesmente incrível, porque dessa forma, não ficamos presos apenas ao lado da história contado pela jovem e sim, podemos conhecer realmente os outros personagens que são tão importantes quanto a mesma nessa história. 

Devo dizer que comecei o livro odiando Charlie devido suas atitudes, mas foi apenas tendo um contato direto com o mesmo e suas explicações que pude realmente conhecer o jovem. Charlie nunca teve uma vida fácil, desde muito pequeno presenciou a violência por parte do seu pai em relação a sua mãe e nunca teve suporte algum por parte dos mesmos, que desde cedo mergulhou no Universo adulto buscando em cigarros e más companhias o refúgio que nunca encontrou dentro da sua própria casa. Apesar de a história se basear na forma com que Vera lida com o luto e seus problemas dentro de casa, também encontramos nele um apelo desesperado por parte de Charlie em fazer Vera se aprofundar no que realmente aconteceu no dia da sua morte para que finalmente pudesse ficar em paz consigo mesmo e fazer com que a sua melhor amiga pudesse entender os motivos pelos quais o levou a tomar certas atitudes em relação a ela, quando na verdade, ele nunca a deixou de amar. 

Por fim, indico Por Favor, Vera Dietz para quem deseja ser tocado intensamento e passar dias após essa leitura refletindo. Desde que, trazendo alto teor de reflexão, nos faz perceber o quanto muitas vezes agimos de forma errônea julgando o próximo levando em consideração apenas a opinião de um terceiro. E além disso, o quanto é preciso nos atentarmos ao que o próximo tenta nos dizer, sendo verbalmente ou não, que algumas pessoas encontram em formar diferente uma maneira dos pedir ajuda e que muitas vezes tudo o que elas têm é isso! 

Um Comentário

  1. Oi, Mari. Eu não conhecia o livro mas fiquei apaixonada pela sinopse. Acho tão legal quando os autores tentam nos mostra diversas formas de alguém se reerguer após passar por uma barra daquelas, acredito que o livro tem muito a mostrar e muito para refletir.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir