ISBN-10: 8579802687 
Título: Meu Coração e Outros Buracos
Autora: Jasmine Warga
Ano: 2016
Páginas: 312
Idioma: Português
Editora: Rocco Jovens Leitores
Gênero: Drama/YA
Nota: 4/5
Sinopse: Qual é o sentido de acordar todas as manhãs se seu coração parece um buraco negro cada vez maior? Aysel tem dezesseis anos e não quer mais viver – só está à espera do momento certo para acabar com a própria vida. Há apenas um problema: ela não sabe se tem coragem de fazer isso sozinha. Quando conhece Roman em um site de suicídio, ele parece o cúmplice perfeito para seus planos. Aysel e Roman não têm nada em comum, mas aos poucos começam a preencher a vida um do outro. No entanto, seu pacto de suicídio torna-se mais concreto a cada dia, e, à medida que os dois planejam a morte conjunta, Aysel começa a perceber que os encontros com Roman a deixam feliz, que seu coração também pode ser leve e alegre.


Meu Coração e Outros Buracos, é o primeiro livro escrito pela autora Jasmine Warga. Sem dúvidas, o quê mais me atraiu para esta leitura foi o fato de a autora ter desenvolvido a estória em cima de um dos maiores tabus do século XXI: a depressão. 

Mas deixando todo o ''blablablah'' de lado vamos direto ao que nos interessa! Aysel Seran é uma jovem de dezesseis anos, intitulada como ''nerd'' por quem a cerca devido ao teu grande interesse por Física e, totalmente deprimida. Aysel inicialmente morava com o seu pai, porém após o mesmo ter cometido um crime terrível, ela se viu obrigada à ir morar com a sua mãe e sua nova família ''perfeita'', na qual ela se sentia completamente excluída e deslocada. 

''Aposto que, se cortassem minha barriga, a grande lesma preta da depressão sairia rastejando. Orientadores pedagógicos amam dizer: "Pensamento positivo!", mas é impossível quando se tem essa coisa lá dentro, sufocando cada centímetro de felicidade que se pode juntar. Meu corpo é uma máquina eficiente de matar pensamentos felizes.''

Aproveitando o tempo livre em seu entediante trabalho, Aysel acessa com frequência o seu site predileto: Passagens Tranquilas. Este trata-se de um site para reunir pessoas com fortes tendências suicidas, que desejam em conjunto ou não acabar com as suas vidas de maneira eficaz. 

É em Passagens Tranquilas que Aysel se depara com Roman, conhecido pelo site como ''RobôCongelado'', o mesmo está a procura de um parceiro para que assim coloquem fim as suas vidas juntos. A partir de então os dois passam a conversar, marcando de se encontrarem e, por fim, tornando-se próximos. Aí que se encontra o grande problema: Ao aproximarem-se Aysel começa a se questionar sobre o real sentido do suicídio. Porém, o mesmo não acontece com Roman, que está totalmente comprometido em colocar fim a sua vida.

“Qualquer um que já esteve triste de verdade pode dizer que não há nada de bonito, literário ou misterioso na depressão. Depressão é como um peso de que não se pode escapar. Ele esmaga você, faz até as menores coisas, tipo amarrar os tênis ou mastigar uma torrada, parecerem uma corrida de trinta quilômetros montanha acima. A depressão faz parte de você, está nos ossos e no sangue.” 

Apesar de não ser o primeiro livro abordando diretamente transtornos psicológicos Jasmine Warga, sem dúvidas, conseguiu se destacar com este livro, abordando de forma nua e crua todos os aspectos sobre a depressão. Claramente, com diversas frases de efeito a autora conseguiu emocionar de maneira intensa seus leitores, principalmente, fazendo com que quem sofre com este grande mal do século se identificasse.

Confesso que, para mim, a capa deixou um pouco a desejar esteticamente falando. Porém, creio que esta esteja interligada a temática do livro, desde que, o preto é bastante trabalhado na mesma e, Aysel fala o tempo inteiro sobre a tal ''lesma preta'' que vive dentro de si, a depressão. 

Antes de finalizar, gostaria de explicar por qual motivo deixei de dar nota cinco para o livro. Apesar de tratar-se de uma narrativa envolvente, que te faz perder noção do tempo e, num piscar de olhos já estar na página cem, a autora demorou muito para desenvolver o que já deveria estar contido desde o meio do livro, o que acabou tornando a leitura um pouco arrastada. Porém, de forma geral, trata-se de um bom livro, desde que, nos faz refletir sobre uma temática que muitas vezes nos passa despercebida no cotidiano. 

''Ele não é mais a pessoa com quem quero morrer, é a pessoa com quem quero viver.'' 

Deixe um comentário