| RESENHA #123 | TODO DIA, DAVID LEVITHAN

domingo, dezembro 18, 2016
ISBN-10: 8501099511 
Título: Todo Dia
Autor: David Levithan
Ano: 2013
Páginas: 280
Idioma: Português
Editora: Galera Record
Gênero: Drama, Romance
Nota: 5/5


Sinopse: Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor. 


Confesso que resenhar Todo Dia não está sendo uma tarefa fácil para mim. Não por não ter gostado do livro, pelo contrário, por ter amado de maneira inexplicável essa leitura. David Levithan soube exatamente como conquistar o meu coraçãozinho! 

Imagine não ter com quem dividir suas vivências. Pais, amigos ou namorada(o)? ''A'' – chamado dessa forma, como ''A'', nem homem ou mulher - não sabe o que é ter isso. Ele não tem um corpo definitivo, uma vida própria. Sua vida se resume em hospedar corpos alheios por apenas um período de vinte e quatro horas. Passando esse tempo ele volta a pular para um novo corpo de um garoto ou garota de dezesseis anos – alguém da mesma idade dele. 

''Se você olhar para o centro do universo, existe frieza lá. Um vazio. No final das contas, o universo não se importa conosco. O tempo não se importa conosco. É por este motivo que temos que cuidar um do outro.''

''A'' parece não se incomodar com a sua triste realidade – não mais. Até que em uma bela manhã acorda habitando o corpo de Justin, um garoto instável e arrogante. Este o faz conhecer Rhiannon, sua namorada, uma garota meiga e capaz de tudo para agradar seu companheiro. E é a partir desse momento em que ''A'' passa desejar com todas as suas forças poder ter mais de vinte e quatro horas, tudo para poder permanecer na vida de Rhiannon. E de fato, ele o faz, mesmo que de sua maneira ''A'' permanece em sua vida, indo ao seu encontro todos os dias, mesmo que habitando corpos diferentes. 


Uma coisa eu devo dizer: David Levithan precisou ter muito jogo de cintura para desenvolver uma trama tão intensa e ao mesmo tempo com uma delicadeza indescritível. Ele nos traz o conceito de corpo e alma, ambos completamente diferentes, mas que ainda temos uma grande dificuldade em distinguir na prática. Além disso, o autor consegue abordar diversas realidades, como por exemplo, colocando A em corpos de heterossexuais, homossexuais e transexuais. Não bastando, Levithan nos trouxe a realidade de quem sofre com a obesidade e a grande rejeição por parte das pessoas, e também, a vida de quem convive com a depressão e pensamentos suicidas. 

''É somente nos pontos mais delicados que fica complicado e controverso, a capacidade de perceber que, não importa qual seja nossa religião, sexo, raça ou localização geográfica, nós temos cerca de 98 por cento em comum com todos os outros. (…) Por uma razão qualquer, nós nos concentramos nos dois por centro da diferença, e a maior parte dos conflitos que acontecem no mundo é consequência disso.''

Por ser narrado em primeira pessoa podemos ter uma maior aproximação com o personagem principal, no caso ''A''. Por diversas vezes tive que conter as lágrimas, pois seus relatos são realmente intensos e emocionantes. Entretanto, também me peguei sorrindo e torcendo por seu romance com Rhiannon, desejando que a estória pudesse se reverter e os mesmos pudessem ter uma relação amorosa mais estável e possível.

Acredito que o autor pecou em um único aspecto: algumas perguntas não foram respondidas. Porém, uma coisa é fato, com uma estória tão diferenciada e inusitada não seria fácil achar uma justificativa plausível e racional para algumas dessas. Enfim, esse aspecto nem em um milhão de anos seria o suficiente para impedir de amar a leitura de Todo Dia. Sem dúvidas, o recomendo para quem está de coração aberto para embarcar numa experiência inovadora e extremamente emocionante. 

''Você não deveria ter que ir tão fundo para ser amada.''

11 comentários:

  1. Eu sempre ouvi falarem sobre esse livro, mas jamais imaginei que fosse uma história que renderia lágrimas, esse lance de corpo e alma é um aspecto que me deixa muito curiosa e rende grandes questões, com toda certeza vai ser uma das minhas próximas leituras e espero ser tão surpreendida quanto você!

    ResponderExcluir
  2. Oi Mari,
    Sempre tive vontade de conhecer a escrita do autor, mas sempre fico adiando. Como nunca li "Um Dia" não teria vontade de ler o livro no momento. Ver o quanto você gostou da leitura me animaram a embarcar nos livros do autor em breve.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  3. Olá ♥
    Não conhecia o livro, mas tenho que confessar que a premissa me instigou muito.No momento estou lendo um livro no qual cada Alma habita um corpo, e tem meio que uma missão a cumprir, até me lembrou esse. A narrativa feita em primeira pessoa me deixa muito feliz parece que me sinto mais conectada ao personagem. Confesso que se fosse pela capa não compraria, para um enredo tão rico a capa poderia ser mais elabora. Espero em breve poder ler, parabéns pela resenha está maravilhosa ♥

    ResponderExcluir
  4. Olá Mari,
    Já li esse livro e ele é um dos meus favoritos da vida. Gostei muito de ler sua impressão e fiquei fascinada por ver que temos impressões substancialmente parecidas. Também precisei conter as lágrimas em vários momentos, mas, em alguns, não consegui me conter.
    Entretanto, não senti que algumas perguntas não foram respondidas, para mim, tudo ficou bem redondo, mas li há bastante tempo e posso ter perdido essa impressão com o passar dos dias.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  5. Olá! Eu comprei esse livro sabendo que ele me agradaria, mas até hoje ele está guardado na estante, tem algo barrando a minha vontade de lê-lo. Sei que o livro é ao mesmo tempo intenso e leve. Espero gostar tanto quanto você!
    Beijo, Leitora Encantada
    Participe do Sorteio de Natal

    ResponderExcluir
  6. Olá, achei tão legal esse enredo, uma ideia diferente inovadora. Fiquei curiosa para saber o desfecho dessa história.

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Oii, tudo bem?
    Eu sempre vi muitas pessoas falando super bem de Um Dia, porém eu tentei ler o livro não dei conta, a leitura não fluiu, não sei se era porque eu estava em em mau dia ou o que, mas irei tentar novamente.

    ResponderExcluir
  8. Olá Mari! ^^
    Todo Dia está na minha lista de desejados, eu to loucaaaaaa para conferir essa história e tenho certeza que a escrita e a história que é um tanto inovadora irá me conquistar assim como ocorreu com você! <3
    Só queria te dizer que te entendo sobre como é difícil fazer a resenha de um livro que amamos!

    ResponderExcluir
  9. Olá amore
    Ainda não li nada do autor em questão, mas já me encantei com a capa.
    Delícia saber que amou, já de cara anotei a dica amore.
    Adorei os quotes, mas, me tirou um pouco a vontade ao saber que ficaram algumas perguntas sem respostas.
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oie
    ai que maravilhoso ver essa resenha por aqui, eu sou muito fã do autor e do livro, foi um dos meus favoritos quando li no ano, e espero reler de novo, amo essa história e adorei sua resenha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?
    Eu li o livro um tempo atrás e assim como você, amei ele de coração. Realmente tem perguntas que não tivemos respostas, mas garanto que no livro Outro Dia você terá as respostas, ele é maravilhoso e sempre que posso estou recomendando também!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.