ISBN-10: 8568696309
 Título: A Mágica Transformadora do F*
 Autora: Sarah Knight
 Ano: 2016
 Páginas: 208
 Idioma: português
 Editora: Bicicleta Amarela (Grupo Editorial Rocco)
 Gênero: Auto Ajuda, Lazer e Bem Estar
 Nota: 
 Livro cedido em parceria com a editora.
Sinopse: Um livro perfeito para os estressados e sobrecarregados de plantão aprenderem a dizer não, sem culpa, para o excesso de obrigações e compromissos desnecessários. Nesta paródia brilhante do bestseller A mágica da arrumação, de Marie Kondo, Sarah Knight, ex-editora que trocou uma rotina opressora por uma carreira freelance, apresenta um guia prático para quem deseja se livrar de dramas familiares, da exigência pelo corpo perfeito, da opinião alheia e de outras bobagens que tanto consomem o tempo e a mente, sem parecer desagradável, mas praticando a mais límpida e amigável sinceridade. Uma autoajuda diferente e bem-humorada, ideal para os tempos atuais.
Não é de hoje que eu venho lendo livros de auto ajuda e bem estar, buscando refletir e mudar alguns hábitos na minha vida e no meu cotidiano. Quando vi o lançamento do Grupo Editorial Rocco, com o selo Bicicleta Amarela, eu logo fiquei interessada, pois o título é deveras interessante "A mágica transformadora do F* (ou foda-se)".

Quantas vezes a gente não sentiu vontade de largar tudo? Largar a faculdade, o emprego, terminar um relacionamento, se afastar de algumas pessoas, simplesmente largar tudo o que te prende e ir fazer uma coisa totalmente diferente? Eu acredito que a maioria de nós meros mortais já passamos por isso e os que não passaram, com certeza terão um sentimento parecido ainda. A questão é que não é tão fácil assim sair da bolha de comodismo e buscar a própria felicidade. Não é tão fácil largar uma estabilidade e uma coisa certa e tacar o foda-se, mas as vezes isso é necessário. 
Nesse livro, Sarah Knight contou sua experiência em abandonar sua carreira estável e bem remunerada, mas que a deixava totalmente infeliz, para ir em buscar de sua felicidade, de uma vida mais leve e mais saudável. Em um bate papo descontraído, Sarah vai guiando o leitor através das páginas, de forma interativa, a como tacar o foda-se. 

Queria deixar claro, que em nenhum momento a autora incentiva as pessoas a serem idiotas e babacas ao assumirem uma postura diferente em relação a sua própria vida. Há uma diferença entre tacar o foda-se e ser um completo idiota. É preciso pensar, refletir até mesmo ser um pouco impulsivo em relação as decisões, mas nunca de forma que fira e interfira duramente na vida de pessoas ao seu redor. Como a autora mesmo diz, você é responsável em relação aos sentimentos das pessoas e não as opiniões que elas possuem. 

“No que diz respeito à forma como sua consideração afeta outras pessoas, tudo que você pode controlar é o seu comportamento em relação aos sentimento delas, não às opiniões que elas têm. Esses são dois componentes distintos em relação ao "que as pessoas acham".”
Os capítulos, narrados em 1ª pessoa, são etapas da transformação e como o leitor deve agir. A autora foi contando suas experiências e dando instruções sobre como prosseguir, caso você queira tacar o foda-se. Ela aborda temas como trabalho, faculdade, amigos, família, relacionamentos amorosos, organização e muitos outros nichos de nossas vidas. Sarah tentou guiar o leitor para seu auto conhecimento, sobre o que vale a pena realmente se importar e o que não. Com a linguagem mais coloquial, ela realmente nos induz a refletirmos sobre o que achamos importantes em nossas vidas. 

A edição da editora Bibicleta Amarelo é simples, delicada, mas passa o ar de transformação que a leitura propõe. É perceptível que a função do livro seja expandir a mente de quem o lê. Em tempos de tanta correria, pessoas não tendo tempo para seus filhos, para si mesmo, para nada além de coisas que muitas vezes nem são tão importantes, é interessante quando temos a chance de conhecer outro universo. Um universo mais feliz e menos estressado.  
Em suma, a leitura desse livro foi acrescentadora e inspiradora. É claro que não é tão simples assim seguir as ideias da autora. Acredito que há momentos e situações distintos, mas em hipótese alguma, nós devemos desistir de buscar nossa felicidade e nossa paz. Eu indico esse livro para todos aqueles que buscam pelo menos ter uma noção de como é tacar o foda-se naquilo que só faz mal, que não acrescenta em nada.

Eu gostei da leitura e a acho muito válida. A linguagem é bem acessível e é realmente um bate papo entre a autora e o leitor, deixando tudo muito fluído e gostoso de ler. A Mágica Transformadora do F* traz uma temática irreverente e importantíssima para esses tempos difíceis de stress. 

21 Comentários

  1. oi tudo bem?

    não curto muito livro de auto ajuda, só leio, quando
    algum leitores pede minha opinião, mas achei interessante
    esse. Eu já pensei em desistir por várias coisas e várias vezes.
    deve ser bacana discutir isso. adorei a capa beijos

    Taynara Mello | Indicar Livros
    www.indicarlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Eu não conhecia esse livro ainda, e apesar de não ler muito esse gênero, seus comentários chamaram a minha atenção. Não tenho dúvidas de que deve ser uma leitura inspiradora sim, ainda mais por conta das reflexões diante do texto e nas entrelinhas. É ótimo pela narrativa ser em primeira pessoa, especialmente para uma maior compreensão.. Gostaria mesmo de desistir de algumas coisas e começar novas.. em busca do que nos faz felizes né..
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir

  3. Olá Anelise!
    Não conhecia esse livro e, gostei da sua resenha à respeito dele, eu gosto de ler livros desse gênero e, com toda certeza eu sempre acabo adquirindo conhecimento e vou evoluindo como ser humano diante do mundo e, as pessoas com que me rodeiam. Achei muito interessnte a linguagem ser em 1° pessoa e, ter uma linguagem coloquial. Dica anotada, vai pra minhas futuras leituras. Abraço!

    Marcas literárias
    leootaciano.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Moça, acho que eu deveria mesmo seguir o seu exemplo e começar a ler livros d auto ajuda, principalmente porque algumas mudanças de hábitos as vezes se faz necessário. O título desse lvro já me deixa curiosa por si só, mas imagino como deve ser legal ver a experi^ncia da autora. Gostaria muito de conhecer a obra.
    Um abraço!

    https://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. "Queria deixar claro, que em nenhum momento a autora incentiva as pessoas a serem idiotas e babacas ao assumirem uma postura diferente em relação a sua própria vida. Há uma diferença entre tacar o foda-se e ser um completo idiota." Caramba esse trecho é tão importante! A autora visa dar instruções, não indicar que as pessoas sejam babacas! Tocar o foda-se além de largar tudo é uma atitude muito madura, que requer reflexão sobre para onde estamos indo e para onde realmente queremos ir. Definitivamente é uma leitura que inspira meus dias de universitária

    ResponderExcluir
  6. Oi. Eu achei a capa do livro muito bonito, trabalho formidável. Porém, não me adequo bem a autoajuda. Sobre a resenha, amei, principalmente este trecho “ Queria deixar claro, que em nenhum momento a autora incentiva as pessoas a serem idiotas e babacas ao assumirem uma postura diferente em relação a sua própria vida.” Rindo até 2.500. Você tem um jeito bom de ler.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Gostei muito do tema abordado no livro. As vezes nos prendemos a certas situações e não estamos felizes com isso. Nem sempre largar tudo é sinonimo de falta de responsabilidade, mas sim você estar se dando uma chance.
    Adorei a sua resenha e vou anotar a sua dica para ler o livro futuramente.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  8. Eu já tinha visto o livro mas eu sou tão desligada que eu não fazia ideia do que o "F*" no título do livro significava! Enfim, não é um livro que eu compraria e muito menos que eu leria, embora eu ache mesmo que chega uma hora que a gente precisa dessa mágica, eu nunca compraria um livro desse. Gostei da sua resenha e de saber como foi a leitura para você.

    ResponderExcluir
  9. Oi. Eu odeio livros de auto ajuda. Acho que como psicóloga sofro do mal de todo profissional de achar tudo muito balela, mas esse livro eu preciso ler! Acho que toda pessoa deveria aprender a dizer o foda-se e buscar o que realmente quer da vida, parar de dizer sim a tudo. Amei a premissa do livro e espero não me decepcionar. Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Anne,
    Como você disse, é muito difícil sair da bolha do comodismo e buscar sua felicidade. Lembro que eu sempre falei isso em um antigo emprego onde todos estavam desgostosos. Acredito que você não tem que ser um completo idiota, como você ressaltou em sua resenha, mas é necessário que você aperte o botão do foda-se em alguns momentos, afinal, ninguém é de ferro.
    Gostei muito da sua resenha e acho que, se eu ler, também acharia um pouco difícil de colocar as dicas em práticas, mesmo já sendo uma praticante oficial do foda-se rs.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Apesar do tema do livro ser bem interessante, eu vou deixar essa dica passar porque realmente livros de auto ajuda não me chamam a atenção, mas gostei muito da sua resenha.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? Olha eu não tenho paciência de ler livros de auto ajuds pois não acredito que exista fórmulas prontas para cada pessoa funciona de uma forma. Eu mesmo já tive vontade de jogar tudo para o alto um milhão de vezes. Até concordo que as vezes temos que colocar o foda-se na vida. Mas mesmo assim não é um livro que eu leria.
    Bj

    ResponderExcluir
  13. Confesso que eu não sou muito de ler livros de auto-ajuda, eles não fazem meu estilo, mas esse livro até que me pareceu deveras interessante! Gostei da temática de utilizar o foda-se do jeito certo, de aprender um pouco mais sobre si... Realmente as vezes dá vontade de largar tudo e é por isso que é tão interessante. Amei <3
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  14. Estou precisando urgentemente desse livro, não tem pessoa no momento tão estressadas como eu. Eu entendi a ideia da autora de extravasar esse stress, liberar espaço em nosso "hd", precisando fazer isso.

    ResponderExcluir
  15. Quando li este título imediatamente me lembrei de uma amiga kkkk
    E importante a pessoa saber dizer não é não deixar que os outros se aproveitem, causando mais estresse do que o necessário. Apesar de não muito livros do gênero, eu até poderia ler este.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oie!
    Confesso que não gosto muito de livros de auto ajuda, mas achei bem interessante a proposta desse.
    Vou anptar essa dica, e dar uma chance para a leitura, pois acredito que irá me surpreender.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  17. Oieee, tudo bem? Quando comecei a ler tua resenha pensei: "Xiiiii, auto-ajuda". Nunca simpatizo com nada do gênero. Mas aí leio a seguinte rase: "Não é tão fácil largar uma estabilidade e uma coisa certa e tacar o foda-se, mas as vezes isso é necessário. " Gente, eu penso muito nisso. Acredito que qualquer mortal um dia já se deparou ou irá se deparar com um pensamento semelhante. Curti mesmo, com certeza vou querer como tocar o foda-se com habilidade kkkkk Bjosss

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. oii.

    Ah, adorei este livro e a proposta que ele traz.

    Não leio muitas coisas sobre auto ajuda mas este livro me bateu uma curiosidade e assimilou com minha necessidade de "tacar o foda - se" de vez em quando.

    Simplesmente amei e quero pra ontem ele kkk

    ResponderExcluir
  19. Olha, acredito que estou passando por esse momento agora. A vontade de mudar de ares está cada vez mais forte.
    PRECISO desse livro.

    Grande abraço.

    Leonardo Lagassi,
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  20. Olá,

    Sendo totalmente sincera, não curto nem um pouco livros de auto ajuda, por mais legais que eles pareçam ser hahaha. Mas, cada um tem um gosto diferente e lê aquilo com o qual se identifica. Mesmo não gostando do gênero, achei essa edição muito bonita e alegre.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda, e para ser sincera eu não me agradei muito com ele, então acredito que eu não leria no momento. Talvez pelo gênero que não estou muito acostumada, mas gostei muito da sua resenha e de ver a sua opinião. Talvez um dia dou uma chance a ele e quem sabe mudo de ideia né?

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir