#33 Não Conte a Ninguém, Harlan Coben

quarta-feira, maio 11, 2016
Ficha Técnica:
Título: Não Conte a Ninguém
Autor: Harlan Coben
Gênero: Policial / Suspense
Editora: Arqueiro
Lançamento: 2009
Número de páginas: 256
ISBN: 978-85-99296-51-6
Sinopse: Há oito anos, enquanto comemoravam o aniversário de seu primeiro beijo, o Dr. David Beck e sua esposa, Elizabeth, sofreram um terrível ataque. Ele foi golpeado e caiu no lago, inconsciente. Ela foi raptada e brutalmente assassinada por um serial killer. O caso volta à tona quando a polícia encontra dois corpos enterrados perto do local do crime, junto com o taco de beisebol usado para nocautear David. Ao mesmo tempo, o médico recebe um misterioso e-mail, que, aparentemente, só pode ter siso enviado por sua esposa. Esses novos fatos fazem ressurgir inúmeras perguntas sem resposta: Como David conseguiu sair do lago? Elizabeth está viva? E, se estiver, de quem era o corpo enterrado oito anos antes? Por que ela demorou tanto para entrar em contato com o marido?

Classificação: 5/5

Que arrependimento. Sim, arrependimento. Gostaria de ter conhecido esse livro antes, porque ele foi uma obra-prima dentro do gênero literário em que se encaixa. Suspense, investigação, ação, romance. Adianto desde agora o quanto essa foi uma leitura boa e fluida, sem precisar de muitas artimanhas pra manter a atenção de quem estava segurando as páginas.

David Beck e Elizabeth se conhecem desde a infância e eles cresceram, amadureceram e construíram uma vida juntos. Todos os anos eles comemoram o aniversário do primeiro beijo, um ritual de união e de celebração de amor que se torna uma memória traumática e irreversível. Ou, pelo menos, é assim que a história nos é apresentada.
Quem tem acompanhado minhas resenhas deve ter percebido que não gosto de ficar descrevendo o enredo do livro, e prefiro focar na construção da escrita, na apresentação dos personagens, bem como os pontos altos e baixos da leitura. Creio que a sinopse é mais do que necessária para situá-los, assim, também evitamos qualquer acusação de spoiler. Certo? Portanto, vou ao que interessa.

Cada página era uma informação nova, muito bem construída e embasada, inclusive com argumentos técnicos e não só por argumentos que foram originados na história. Junto as reviravoltas, que são muitas, até mesmo quando você acha que tudo está bem esclarecido, temos também a valorização de todos, absolutamente todos, os personagens. Mr. Coben não deixou nenhuma das suas criaturas à mercê da nossa imaginação. Era como se ele quisesse que compreendêssemos que os atos de uma pessoa não são resultados somente do aqui-agora, mas também é uma resposta das contingências nas quais essa pessoa foi criada e inserida.

É impossível citar quais foram as peças principais de toda a obra. Nela temos Shauna, esposa da irmã do Dr. Beck e a personificação de companheirismo. Ainda que tenha pensado que por ela ser modelo representaria uma figura feminina, frágil e supérflua, ela nem nos dá espaço pra isso. Além da Shauna, temos um cliente traficante, um chinês torturante, um sogro rude e passível de desconfiança, um magnata conhecido por sua entidade de caridade, uma advogada que se acha semi-deus, uma fotógrafa esquecida em dolorosas memórias, um policial ameaçador e uma esposa amada linda e morta. Só lendo o livro até o final para saber quem é a vítima, quem é o algoz e quem é o redentor. Assumo que amei e odiei alguns com uma facilidade que é de mérito do autor, e espero ter sido proposital.

O relacionamento entre David e Elizabeth é digna de uma peça de Shakespeare. A ligação que eles mantiveram durante todo o tempo, a forma de demonstrar um ao outro o quanto são dependentes e se amam, e lógico, os sacrifícios. Diferente da maioria das críticas que li sobre a história, achei o final sensacional. Fazia tempo que não me percebia de queixo caído ao fechar um livro. As reviravoltas são o ápice na vida do Beck, portanto, ele não poderia sair e nos deixar ao relento segurando seus traumas sem que também nos traumatizasse.

Harlan Coben merece ser ovacionado pelo trabalho magnífico. Meu primeiro contato com o autor, há dois ou três anos atrás, se deu por meio de “Quando ela se foi”. Agora, parando para pensar, ambos os títulos e suas respectivas histórias, são bem similares. Se pegarmos o esqueleto de uma e sobrepor a outra veremos os mesmos personagens e os mesmos mistérios. Mas isso é ócio do ofício, e não necessariamente é algo negativo. Quanto mais produzimos algo, mais nos aperfeiçoamos nele. Então, só lendo outras obras do americano para saber se ele tem conseguido se manter tão atrativo como foi até agora.

Por fim, “Não conte a ninguém” seria um pecado, por isso fiz essa resenha. Vocês deveriam conhecer esse livro.




16 comentários:

  1. Oi Allana, tudo bem? Eu já conhecia esse livro, inclusive cheguei a ter o título na minha estante, porém não consegui ler e dei ele de presente para uma amiga minha. Não fez o meu gênero, mas acredito que deve ser bem promissor e recomendado para quem curte a premissa. Apesar disso, é claro que a sua resenha é bem inspiradora e dá uma certa curiosidade em conferir.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oie! Esse foi o primeiro livro do autor com o qual tive contato, mas na época não cheguei a ler até o fim, não lembro o motivo pelo qual larguei, mas sempre tive vontade de voltar nele. Quero saber qual o mistério do e-mail recebido e se elizabeth era a mulher boazinha como parecia. Eu li quando ela se foi mas nem lembro dele para poder comparar. Não sou uma super fã do coben mas tenho vontade de ler mais coisas dele até mesmo para conhecer.

    ResponderExcluir
  3. Adorei seu estilo de escrita, não gosto muito quando as pessoas resenham o livro e já saem contando spoilers por aí. Acho muito mais interessante focar no desenvolvimento do próprio livro e em outros tópicos.
    Agora sim, tenho que admitir que passei batido por esse livro quando vi ele nos lançamentos da Arqueiro, mas você conseguiu despertar minha curiosidade. Parece um daqueles thrillers bem construídos que mistura um pouco de tudo e termina com uma narrativa bem amarradinha, fiquei muito interessada.
    Ótima resenha e ótima dica! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Nunca li nada do Harlan Coben e me sinto morando embaixo de uma imensa e pesada pedra, por ainda não poder opinar sobre seus livros com alguma propriedade. São tantos elogios e tantos admiradores que a sensação de estar perdendo alguma coisa importante é muito forte. Adorei sua resenha e anotei a dica e espero que em breve eu possa sair da caverna da ignorância e poder ler alguma coisa deste autor tão amado e elogiado.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Allana!
    Todo vez que leio uma resenha de Coben penso exatamente a mesma coisa que você falou no início: Por que ainda não li esse autor maravilhoso?
    E olha que ano policiais e Thrillers.
    Gostoi muito das suas impressões e pude ver como esses personagens são envolventes e a narrativa cativa e instiga
    Tenho esse livro em casa e preciso ler já!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Oi, Allana! Tudo bem?
    Sempre que leio uma resenha sua, fico encantada com a forma como você escreve. Até mesmo agora, lendo uma resenha sobre um livro que não me cativa tanto, apreciei muito a forma como foi escrita. O título do livro me parece muito intrigante, mas a proposta dele não me conquistou muito, pois não tenho muito interesse no gênero de investigação. Espero que algum dia eu consiga abrir mão deste meu preconceito e gostar tanto de obras assim quanto as pessoas dizem serem capazes de gostar. Beijos! ^-^

    ResponderExcluir
  7. Oi,Alana.
    Harlan Coben e um mestre. Eu sou fã do autor e sempre acho divina a maneira como ele conduz o leitor aos seus desfechos incríveis. O último que li dele foi 6 anos depois... E é divino. Recomendo a leitura.
    Adorei a resenha.
    Bjs
    Luana
    http:// blogmundodetinta.blogspot. com

    ResponderExcluir
  8. Oi Anne,
    que bom que gostou tão plenamente dessa obra, ele foi meu primeiro livro do Harlan e confesso que não achei tudo isso, talvez tenha sido expectativa em excesso, sempre li elogios rasgados as obras dele, mas achei apenas bom. Talvez seja implicância minha, porque amo Sidney Sheldon loucamente e pra mim, ninguém escreve nada do gênero melhor que ele, vai saber né? De qualquer forma, ainda irei ler outras obras dele para tirar a prova.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  9. Esse foi o primeiro e único livro do autor que li até hoje. Na época eu adorei tanto que comprei mais outros 3, mas ainda não não li. Só fiquei com receio agora porque você disse que os esqueleto desse e de outro que você leu são muito parecidos. Apesar de você dizer que não é um ponto negativo, eu não gosto, principalmente nesse tipo de livro se forem parecidos você mata a charada no início como acontece com os do Dan Brown.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu nunca li nada do autor, mas tenho curiosidade, porque todas as histórias são bem comentadas. E essa parece ser bem curiosa e interessante, super trágico o que eles sofreram na comemoração, né? Gente, coitados! Agora fiquei aqui me perguntando como tudo se desenrola e querendo conhecer os personagens. Enfim, vou tentar ler esse livro algum dia, acredito que vou ser conquistada.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  11. Já vi vários elogios às obras do Harlan Coben em geral, mas nunca fui muito curiosa em ler seus livros por se tratar de um gênero que não tenho o costume de ler, é bom o fato que ele tem tipo um esqueleto na construção de seus livros, pois dá a chance de conhecer a sua escrita com qualquer livro, gostou continua lendo, não gostou já fica sabendo que é algo do tipo que encontrará em outros livros.

    http://deiumjeito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, uau só de ver tantos elogios é difícil se deixar passar abatido por esse livro. Eu sempre tive vontade de conhecer as obras do Harlan mas não tive oportunidade ainda, e ver que você adorou esse livro me anima a começar por ele, pois sei que não irei me arrepender!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Menina fiquei super animada com sua resenha agora.faz tempo que eu quero conhecer a escrita do Harlen Cobem e comprei justamente esse livro para começar!!! E saber que ele tem tantos elementos como o suspense e o romance já me deixa ansiosa para começar a leitura!!!
    Espero gostar tanto quanto você!
    BJ

    ResponderExcluir
  14. Olá

    Só vejo elogios para as obras do autor e vendo seu empolgação me sinto péssima por nunca ter lido nada dele. Eu imaginava algo totalmente diferente da obra e lendo sua resenha me enganei. Esse parece ser muito empolgante e você dizendo que a relação do casal é shakespeariana me deixou bem mais curiosa.

    Bjos
    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2016/05/series-04-scream.html

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Eu amo suas resenhas pq eu tb gosto de escreve-las dessa forma, bem criticas e nada de resumo!
    Eu morro de vontade de ler essa obra, nunca li nada do autor. Muitos gostam e dizem ser um dos melhores no gênero.
    Sobre a similaridade, acho que como todos os gêneros, tem sempre o seu clichê, mas faz parte mesmo rs

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  16. Allana eu tenho loucura em conhecer a escrita desse autor. Esta é a segunda resenha que leio de um livro dele, e como aqui, a outra resenhista também ovacionou a capacidade dele de escrever suspense e mistério. Fiquei bem curiosa justamente por seu breve resumo lá em cima e por você ter citado que ele se dedicou a todos os personagens. É bem difícil um autor conseguir fazer isso, os secundários geralmente são só figuração haha. Adorei. Acho que começarei por esse livro.

    Beijo, Mari Scotti

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.