Despertador. Banho. Café. Chaves. Óculos de Sol. Fones de ouvido. Estrada. Escritório. Multiplique isso por 30 e você terá a rotina mensal de milhares de pessoas, inclusive a minha. Podemos acrescentar também a rotina do trabalho, abra o notebook, são oito horas, feche o notebook já são 18 horas. Estrada. Fones de Ouvido. Óculos de Sol. Chaves. Banho. Cama. Amanhã é outro dia e começamos tudo de novo, na mesma sequência. Despertador. Banho. Café. Chaves. Espera! Cadê meus óculos de sol e meu fone de ouvido? Esqueci eles em casa! E agora? Vou ter que aguentar as pessoas conversando no ônibus e esse sol batendo bem no meu rosto. Mas esse sol é tão reconfortante, nunca tinha prestado atenção na forma em que ele tinge a cidade adiante com seu alaranjado dégradé. Quando desço do ônibus o cobrador se despede, será que ele sempre diz isso ou é a primeira vez que reparo? Logo em seguida o porteiro do edifício do escritório me deseja um bom dia, ele também faz isso todos os dias? Entro no elevador... Mais um bom dia. Agora é minha vez, entro no escritório, bom dia pra secretária e para as pessoas que vou encontrando no caminho até minha sala. Olha, elas sorriem de volta! Acho que hoje nem vou precisar de café para aguentar o expediente. 8 horas, abri o notebook. 14 horas lembro de ter visto esse conceito em algum lugar, vou jogar no google... olho pra minha mesa e tem alguns livros lá... desculpa google, acho que posso perder alguns minutos procurando a resposta no papel. 18 horas, fim do dia, até que hoje não foi cansativo. Dou tchau para a secretária, para as pessoas no elevador, para o porteiro. Entro no ônibus, comprimento o motorista e o cobrador. Estrada. Pôr-do-Sol. Casa.Chego e vejo meu gato se divertindo pulando atrás de um besouro... O observo e ele finalmente percebe minha presença e vem ronronando aos meus pés, que saudades daquela barriguinha peluda! Tomo um banho e me espreguiço no sofá, volto a ler aquele livro abandonado a meses. Hora de dormir, afinal amanhã o despertador toca de novo. Dessa vez vou lembrar de colocar os fones de ouvido e o óculos de sol na bolsa, mas sem esquecer do mundo que está a minha volta, afinal I'm alive and vivo muito vivo, vivo, vivo. Feel the sound of music banging in my belly. Know that one day I must die. I'm alive.

4 Comentários

  1. Que texto maravilhoso! Realmente, todos os dias a maioria de nós sai de casa, com os fones de ouvido e ignorando o mundo tão grande que se tem ao redor. Isso me deixa bem triste, principalmente quando estou conversando com alguém e a pessoa só olha para a tela do celular, ou o que é pior, quando vejo que eu mesma estou fazendo isso com alguém. Está faltando esse despertar no mundo, essa curiosidade de ver o que há, conhecer mais gente pessoalmente e não apenas no virtual ou no universo que a gente cria... Esse texto me fez refletir demais, e pra falar a verdade, acho que vou refletir sobre o assunto durante um bom tempo. Você escreve muito bem, adorei que você colocou o trecho da música do Caetano no final, apesar de conhecer várias músicas dele, não conhecia essa. Já vou correndo ouvi-la ;)

    http://www.thaisnacidade.com/

    ResponderExcluir
  2. Na verdade escrevi esse texto porque estava com essa música na cabeça haha em um mundo tão corriqueiro e repetitivo é importante lembrar que estamos vivos e que existe beleza ao nosso redor! Obrigada pelas suas palavras também :)
    Beijos, Helo!

    ResponderExcluir